segunda-feira, 24 de junho de 2013

Mensagem encontrada numa garrafa 97 anos depois

Jorge Adelar Finatto 
 
photo: Dave Leander. fonte: abc News*
 

A garrafa é pequena e transparente. Foi encontrada por Dave Leander quando ele fazia um mergulho, a 9 metros de profundidade, no rio St. Clair, em Detroit, no estado americano de Michigan. O brilho do vidro chamou-lhe a atenção. Aproximou-se e observou que dentro havia um papel escrito. Trouxe a garrafa à superfície.
 
Retirou a rolha de cortiça com cuidado e pegou o documento. Na verdade, um recibo de pagamento da passagem do navio utilizado para chegar ao local, um parque em uma ilha. No verso o breve texto escrito a lápis: "Having a good time at Tashmoo." Em tradução livre, "Estamos passando bons momentos em Tashmoo". Data: 30 de junho de 1915.

A frase está assinada por Selina Pramstaller e Tillie Esper, então muito jovens. Tashmoo era o nome do parque onde elas estavam, em Harsens Island, e também o nome do navio que levava as pessoas do continente até lá. 
 
Dave Leander encontrou a garrafa em junho de 2012. Ao saber do achado, a Sociedade Histórica Harsens Flats solicitou-lhe a garrafa com o documento para fazer parte do acervo de seu museu. Marcaram para o mês que vem uma exposição com a garrafa e outros materiais que registram as viagens dos habitantes de Detroit ao parque, entre o final do século XIX e início do XX. Na ocasião, pretendem reunir no local possíveis parentes das duas jovens.

A notícia daquele dia na vida de Selina e Tillie atravessou o tempo e chegou até nós a bordo da pequena garrafa que atiraram às águas quase cem anos atrás. Poucas palavras manuscritas a lápis, que sobreviveram às autoras e trouxeram ao futuro a imagem daquele dia de sol e encantamento na ilha. Um documento mínimo e luminoso também.

A frase foi tudo que sobrou daquele dia. As seis palavras fizeram presentes a memória e a alegria de Selina e Tillie.

Quem coloca mensagem escrita dentro de uma garrafa, jogando-a ao mar, ou ao rio, alimenta a esperança de que um dia alguém a encontre e leia.

A palavra escrita, dentro e fora de garrafas, é um modo de lutar contra o esquecimento. No íntimo de cada um, o desejo de prolongar a vida no texto, de fazê-la maior, mais humana, menos frágil. Ansiamos ressuscitar nos olhos de quem lê.

As cartas, os bilhetes, as mensagens eletrônicas, os poemas, os livros, os blogues, também são maneiras de sobreviver. Tudo se escreve para fugir da casa do oblívio.

A palavra, ao contrário de nós humanos, permanece. É capaz de carregar por séculos  a nossa efêmera felicidade, a nossa esperança, o nosso desespero.

É tudo que fica de um dia feliz numa ilha ensolarada. Às vezes, é tudo que fica de uma vida.
 
_______________

Message in a bottle (by Christina Ng)
http://abcnews.go.com/US/michigan-message-bottle-mystery-solved/story?id=19438661