sexta-feira, 14 de outubro de 2011

"No mar estava escrita uma cidade"

Jorge Adelar Finatto


photo: j.finatto, 2008


No próximo dia 31 de outubro, será o aniversário de nascimento de Carlos Drummond de Andrade, que, se fosse vivo, faria 109 anos (nasceu em 1902 e morreu em 1987).

Esta fotografia fiz em 2008, num dia meio sol, meio nuvem. Uma lembrança do grande poeta brasileiro, com quem tive a rara felicidade de manter contato em 1985. Lembro esse fato no post que publiquei com o título A memória do coração, em 11 de abril de 2010, aqui no blogue.

A frase entre aspas do título é de Drummond (vale um poema), gravada no banco onde sua escultura está sentada, diante do mar, na Avenida Atlântica, Copacabana, Rio de Janeiro. Na verdade, é um verso do poema Mas viveremos, de seu grande livro A rosa do povo (1945).

Drummond é um desses essenciais na literatura brasileira e sua poesia é universal.

No site oficial do poeta, há um breve e rico documentário sobre ele - O Fazendeiro do Ar - feito por Fernando Sabino e David Neves. Vale a pena ver:

http://www.carlosdrummond.com.br/

_______________

Mais sobre Drummond:
http://ofazedordeauroras.blogspot.com.br/2010/04/memoria-do-coracao.html

 

2 comentários:

  1. As pessoas que fizeram deste mundo um lugar melhor já morreram ou estão em vias de.
    Hoje, se assiste um mundo tecnocrático, hostil, impessoal, apressado e com a cultura rebaixada.
    A poesia e as artes do espírito foram substituídas pelo entretenimento fácil e a fissura pela novidade.
    Mas, persistimos, Adelar, mesmo sob os olhares meio desconfiados dos que, ainda, não despertaram para o seu potencial de divino dentro de si.

    Abraço.

    Ricardo Mainieri

    ResponderExcluir
  2. Caro Ricardo.

    Drummond foi um desses essenciais. No site oficial do poeta, há um breve e rico documentário sobre ele - O Fazendeiro do Ar - feito por Fernando Sabino e David Neves. Vale a pena ver:
    http://www.carlosdrummond.com.br/

    Um abraço.

    JF

    ResponderExcluir